aula 04 - IT does not matter

1) Já treinando e forçando a leitura de artigos em ingles, leiam o famoso paper de Nicholas Carr disponibilizado no endereço":

Prazo: 16/09

http://jazieko.com/wp-content/uploads/2008/04/carr_does_it_matter.pdf

2) Descrevam os principais pontos do paper

3) Qual a sua opinião com relação a de Nicholas? Por que?

Carlos Alexandre

Principais pontos:
1- Como TI passou a ser um recurso indispensavel para que uma empresa lucre: Como as empresas passaram a envestir em TI, e que aquelas que possuem uma maior visão em uma nova tecnologia podem se saem em vantagem sobre suas concorrentes.

2- Expansão de TI e seu papel na Industria: Comparações entre Tecnológias proprietárias e de Infraestrutura.

3- Benefícios da personalização seria esmagada pelos custos de isolamento: Uma tecnologia é mais bem usada e aproveitada quando compartilhada.

4- Uma nova maneira de tratar o gerenciamento de TI e que a chave para isto é não buscar vantagem agressivamente e sim, medir os riscos meticulosamente.

Opnião com relação a Nicholas:
Ele trata o TI como uma mercadoria (commodities), TI é mais do que isso, pode ser tomado como a solução para os mais diversos problemas que enfrentamos hoje em dia.

Resposta Adonias:

2 - O paper aponta que o poder da TI tem crescido muito e está basicamente presente em todos os lugares, por isso a sua importância tem
diminuído muito. No artigo, o termo TI refere-se à tecnologias usadas para processamento, armazenagem e transporte de dados em formato digital, onde Carr - autor do paper - diz que "essas funções básicas" tornaram-se acessíveis e disponíveis a todos. Por esta razão, não provoca vantagem competitiva entre as empresas. Na visão dele, TI se tornou um custo obrigatório que não garante vantagem competitiva. Pois "as suas funções básicas" não são novidades para as empresas. Para Carr, as empresas que enxegam novidades podem ficar um passo à frente das que não enxergam e os recursos mais sofisticados de TI já não são novidades, uma vez que estão disponiveis para todos. Ele ainda diz que o risco da TI diante da maioria das empresas é gastar em excesso.

3 - TI é bem mais do que Carr acha, não é apenas um meio de transportar informação. Não pode-se comparar TI com transporte e alimentação, uma vez que estes não têm semelhança com a improvisação que importa em TI. Concordando com o que Carlos disse acima, TI é uma ferramenta utilizada como uma solução e aperfeiçoamento para os problemas encontrados no mercado e para facilitar as tarefas que fazemos no dia a dia.

Resposta Melquisedec:
1 - O aumento de gastos das empresas em TI se deu após a introdução do computador pessoal. Os executivos deixaram de olhar o computador como se fosse uma simples máquina de escrever ou um mero editor de textos e começaram a explorar mais o potencial da máquina. Isso fez com que o computador se tornasse um instrumento indispensável nas organizações. As principais funções da TI são o armazenamento, processamento e transporte de dados. A TI se tornou algo acessível a todos e por isso algo menos importante, segundo o autor.
2 - O que faz realmente que uma empresa leve vantagem sobre os seus rivais é a capacidade de ter ou fazer algo que os outros não podem. É ter visão de futuro e a capacidade de identificar suas limitações. Empresas como a Microsoft e a Dell já estão se reposicionando sobre os seus produtos. Isso de deve as mudanças no mercado tendo em vista que as empresas estão perdendo a necessidade de atualizações constantes em seus softwares. Segundo o autor, nem sempre a empresa que investe mais em TI é aquela que obtem mais sucesso.
3 - SOBRE O AUTOR: Acredito que a idéia de Nicholas está correta, tendo em vista que TI já é algo acessível a todas as empresas. Acho que investimento em Tecnologia da Informação deve continuar, mas não deve ser mais o principal foco de uma empresa. O foco deve ser o gerenciamento de custos e a capacidade de percepção dos riscos provenientes das limitações da empresa.

Fábio Batista:
Carr fala sobre como os avanços tecnológicos deixam, com o tempo, de ser vantagens temporárias e passam a ser necessidades para se manter no mercado. Como aconteceu com o telefone, a eletricidade, o vapor, TI vem se transformando cada vez mais em algo comum e necessario, como ele fala no paper, nenhuma empresa se baseia na quantidade de energia que vai gastar, ou se a infraestrutura está presente, ele sabe que precisa dela. Outro ponto importante é o fato de TI está se transformando em um comodite, com a chegada da internet várias empresas criaram serviços web baseado em taxas, e com isso tratam TI como atividade fim, ao contrário das empresas que utilizam TI como um meio para vender seus produtos, se conectar com o cliente e outras ações que ajudem na sua area.

A comoditização de TI é um fato. Todos os dias vemos um novo produto sair da google, ou um novo serviço baseado em web, as empresas não mais precisam se preocupar em desenvolver novas tecnologias, elas podem simplesmente tomar um programa genérico e cortar os custos de desenvolvimento (tempo e dinheiro). TI é uma ótima ferramenta, se usada corretamente ela pode fazer toda a diferença em uma empresa, porém, deve-se ter cuidado no investimento. É mais seguro
pra uma empresa acompanhar as líderes no quesito TI, pois este envolve muitos riscos que podem acabar com os recursos.

Deixo o resto com os amigos abaixo:

César Magno

Principais pontos:

Os motivos e evoluções históricas que levaram TI a se tornar um recurso indispensável nas empresas;
A comparação entre a revolução de TI com outras inovações também revolucionárias, e mostrando qual o caminho natural dessas inovações na história;
A tendêcia do TI como serviço;
As estratégias naturais resultantes do TI defendendo que as empresas tem saído do ataque para assumir uma posição de defesa.

Minha opnião:
Concordo em parte, realmente já pensava sobre o fato de que a tecnologia, é uma coisa muito dinâmica e realmente com o tempo tende a se popularizar com facilidade, mas justamente por ser dinâmica eu também considero que ela tende a evoluir sempre trazendo novas áreas de estudo e pesquisa assim como outros exemplos, ela naturalmente sempre gerará novidades para serem estudadas.
No texto ele dá o exemplo da eletricidade, mas assim como a energia elétrica passou de inovação diferencial para uma necessidade natural, devemos lembrar que hj as empresas focam em energia "Sustentável" ou seja a energia elétrica continuou sendo o foco, só que com a nova roupagem do caráter renovável, acredito que o mesmo exemplo aplica-se a TI.
Quanto a mudança de comportamento empresarial não acho que a TI tenha trazido as empresas um padrão natural de defender ao invés de atacar, acho que ela trouxe um padrão de atacar com uma boa chance de gastar menos energia e conseguir melhores resultados.

Resposta Ygor César:

1- De acordo com o passar dos anos as empresas investiram cada vez mais em TI pela necessidade de evolução para maior lucro. Isso começou evoluindo pouco, no começo tecnologia era visto como uma coisa desnecessaria, um exemplo disso é que os executivos de maior posto se recusavam a usar tais instrumentos tecnologicos e passavam o uso para pessoas de menores postos, mas com o passar dos anos se tornou um diferencial para as empresas.
Porem como nem tudo são flores a tecnologia evoluiu de tal modo onde passou a ser algo indispensavel e nao mais um diferencial, pois o TI se tornou disponivel a todos.O diferencial agora era momentaneo, as empresas aplicavam(e aplicam) novos serviços com novas tenologias que lhes da uma vantagem momentanea tornando-se algo comum e pouco valorizado, e ate muitas vezes criticado como “um mal necessário”.

2- Como foi dito por meus amigos ai em cima a TI teve e tem grande importacia na industria, no começo era visado um desenvolvimento de sistemas de TI proprietarios,como eram poucas a industrias que tinham tal desenvolvimento elas aproveitaram para se difundir e tal modo e lucraram muito com isso, mas com o passar dos anos devido a grande evolução de TI pelo mundo o desenvolvimento apenas interno se mostrou uma desvantagem pois trazia grandes custos e limitava a industria, onde a maior alternativa seria TI compartilhada pois traria mais rapidez e comodidade. Esse metodo foi e eh usado em praticamente tudo relacionado e TI hoje.

3- O autor fala sobre o crescimento extraodinario da tecnologia, "Ao longo dos últimos dez anos, o número de sites na World Wide Web cresceu de zero para quase 40 milhões." disse Car, sendo esse apenas um exemplo.

4- A uso de TI no mundo empresarial se tornou algo minuciosamente usado, algo de poder enorme, que pode dar a empresa uma cara e acessibilidade totalmente diferente. O surgimento de tantas empresas de software é um reflexo disso.

5- Hoje a tecnologia é de uma maneira, amanha será bem mais evoluída. E o mercado tem de acompanhar e tem de usar. Todo dia temos coisa nova, e esse é o presente e o futuro.

6- Falando sobre Carr, ele tem uma ampla visão de TI, sabe muito bem o que fala porem ele trata a tecnologia como apenas um “Objeto”, como dinheiro, uma mercadoria, assim como grande parte das pessoas do mundo. A TI é ligado a tudo q existe hoje, o mundo evolui a base de TI, TI é indispensável e inevitável, TI é um mundo e não uma mercadoria.

Micael Soares:

O artigo “IT does not matter” de Nicholas Carr, aborda de uma forma geral a influência de TI no mundo dos negócios, até que ponto ela pode realmente ajudar no desenvolvimento do mercado. TI se resume ao uso do computador e sistemas informatizados como ferramentas? Que tipos de melhorias a TI pode trazer para uma empresa, até que ponto ela lhe da uma vantagem competitiva no mercado. Qual o real uso e importância da TI. Tecnologias proprietárias e de infra-estrutura, o que são e de que formas são ou podem ser usadas para trazer benefícios a empresa. Esses são alguns dos assuntos abordados no artigo.

Quando fala sobre a história do desenvolvimento da tecnologia, Nicholas relata que computadores eram vistos como "simples ferramentas para proletariado". Porem, com o tempo, grandes executivos passaram a usar da tecnologia mais rotineiramente devido ao valor estratégico em torno da informação tecnológica e as empresas começam a tratar a TI como um recurso crítico necessário para o seu sucesso. Essa mudança fez com que as empresas passassem a realizar um grande investimento na área de TI. Segundo dados contidos no artigo em 1965 as empresas investiam menos de 5% do seu capital em TI, em meados de 1980 esse valor sobe para 15%, em 1990 para 30%, e atualmente nota-se um investimento de mais de $2 trilhões por ano. Segundo o autor por trás dessa mudança está à idéia equivoca de que é na potencia e a onipresença da TI que está o seu valor estratégico.

Para Nicholas a TI tem sim sua importância no mercado, quando usada, por exemplo, para compartilhamento/disputa de informações criando redes/correntes entre empresas juntando com isso operações de companhias individuais, e principalmente no que diz respeito a uma melhoria da infra-estrutura de uma empresa. Mas tal importância geralmente é super valorizada, pois os avanços tecnológicos se disseminam de forma rápida e abrangente, os custos para adquirir tais recursos de TI diminuem e conseqüentemente torna mais comum a adesão deles por partes de outras empresas diminuindo assim também qualquer vantagem temporária que outra empresa tenha obtida sobre outra pelo uso de TI.

Respostas de Samuel:

Questão 01:
-Com o surgimento de TI as pessoas passaram a ter uma nova perspectiva de como a computação pode ter influência no modo de viver. Isso no ano de seu surgimento, como o artigo cita o surgimento do microprocessador em 1968. Hoje em dia não é possivel pensar no mundo sem pensar em computação, pois esta conseguiu se inserir tanto no meio dos negócios como no modo de vida das pessoas, ou seja, o que antes era uma ideia se tornou realidade, o que antes era absurdo hoje é possivel.
-É preciso que TI cresça, porém com planejamento e estratégia pois montar uma empresa do nada sem o menor planejamento na área de TI, normalmente siginifica fracasso. É preciso ter foco.

Quetão 02:
Na minha opinião eu concordo com ele com relação a evolução de TI, ou seja, realmente computação cresceu de forma exponencial e se tornou algo indispensável na vida de todos os seres humanos e também de todas as empresas que existem hoje, pois uma empresa sem TI não existe para o mercado, porém eu concordo também com Ygor quando ele fala que este autor trata muito TI como uma mercadoria quando esta é só uma das aplicações deste tecnologia, é preciso saber diferenciar suas aplicações de o que é reamente TI.

Emanoel Carlos:

Principais pontos:
No início do artigo, há uma retrospectiva das tecnologias desenvolvidas pela humanidade, passando desde a máquina de vapor, ferrovia e telégrafo, até as tecnologias atuais. Assim como uma breve análise de como todas elas repercutiram no modo de atitude dos gestores das empresas.
No tópico Vanishing Advantage, comenta sobre as tecnologias proprietárias. No cenário atual, reforça que as tecnologias de infra-estrutura, oferecem mais valor agora, quando partilhada do que quando usados isoladamente.
Em From Offense to Defense, mostra o que as empresas devem fazer em relação a tantas mudanças. Segundo o autor “quando os recursos se tornam essenciais para competição, mas inconsequentes para estratégia, os riscos criados se tornam mais importantes do que as vantagens proporcionadas”. Há uma lista de algumas “novas regras” de gestão de TI.

Em resumo as regras são:
Gaste menos. Estudos mostram que as empresas com o maior investimento de TI raramente postam os melhores resultados financeiros. Dell e a Wal-Mart ficam bem para trás a partir da ponta, esperando para fazer compras até que os padrões e melhores práticas se solidifiquem. Eles deixam seus concorrentes impacientes arcarem com os custos elevados de experimentação e, em seguida, varrem-lhes passado, gastam menos e ganham mais!
Siga, não guie. A Lei de Moore garante que quanto mais você esperar para fazer uma compra de TI, mais você receberá seu dinheiro (Segundo ela, a densidade de transistores no mercado, dobra a cada 18 meses!). E espera diminuirá o risco de comprar algo imperfeito ou tecnologicamente fadado à obsolescência rápida. Em alguns casos, estar na vanguarda faz sentido.
Concentre-se em vulnerabilidades, não oportunidades. Eles precisam se preparar por falhas técnicas, falhas e brechas de segurança, mudando a sua atenção de oportunidades de vulnerabilidades. Isso é particularmente verdadeiro, com armazenamento de dados, que tem vindo a representar mais de metade dos gastos de muitas empresas (o conteúdo é relevante?).

Opiniões em relação ao autor
Apesar do títlulo “TI não importa”, o autor reconhece a importância da tecnologia, mas faz uma dura crítica à veneração da TI. Ele não diz que a tecnologia deva ser extinta das empresas e da sociedade, mas refuta a importância de que o que vale mais é como se usa a tecnologia, e não a quantidade dela na empresa.
Concordo no sentido à crítica em que ele faz em relação à idéia de quem quanto mais TI em uma empresa, mais lucros serão obtidos por ela. Segundo Nicholas G. Carr, o que torna um recurso verdadeiramente estratégico - o que lhe dá a capacidade de ser a base para uma vantagem competitiva sustentada vantagem não é ubiquidade (a difusão em massa), mas a escassez. Como uma maior disponibilidade e custos reduzidos, eles se tornaram insumos e commodities (produto primário). Do ponto de vista estratégico, toraram-se invisíveis, pois eles já não importavam.

Resposta de Paulo Sergio
Questão 1
O paper traça um breve relato histórico de TI aos longo dos anos, mostrando sua evolução tremenda e cada vez mais acessível a maioria das pessoas, dando abertura a novos formas de comércio. Daí são necessarias novas formas e regras para os negocios que tem como meio ou fim o uso de TI.
Questão 2
Na minha opinião TI é muito mais que negócio ou ou uma nova forma de negócio. Daí penso que o autor lança uma opinião muito limitada, pensando apenas no comercio, TI é usado em diversas instâncias da humanidade, o quê mostra a necessidade de repensar TI como uma necessidade básica do ser humano moderno, assim como a alfabetização.

-»> Francielly Falcão «<-

O autor faz referência ao grande crescimento de Tecnologia da Informação (TI) nos mais variados setores da economia, sendo este um marco histórico-social, antes visto como grande vantagem e que tem se transformado numa necessidade constante do mercado. Este ressalta TI, sob a perspectiva de três funções básicas (Armazenamento, processamento e transporte de dados).
Observando a presença de TI no mercado atual, e em sintonia com o pensamento de Carr podemos concluir, que as empresas devem pensar TI, como algo que pode trazer diferencial aos seus serviços, mas de forma planejada e construida de acordo com as necessidades dos clientes. Carr trata no texto de TI como algo banalizado, comum, cotidiano, mostrando o quanto os seguimentos da sociedade estão usufruindo da mesma.

As aplicações de TI é que trarão algum diferencial para quem as utiliza.

Respostas de David,

Minha humilde opnião,

Desde os primordios da historia humana, as pessoas, das mais variadas civilizações, utilizaram Tecnologias da Informação como maneira de gerenciar seus recursos de maneira lucrativa, bem como forma de interconectar e organizar melhor a sociedade, dentro do contexto em que estão inseridos.
Com o passar das eras, que trouxe consigo um aumento exponencial no comercio e produção de riquezas humanas, ocorreu uma necessidade maior de comunicação como forma de permitir esse crescimento. Dai surgiu a TI como forma de resolver essa necessidade, que se acentua a cada dia.
No inicio, as organizações não conseguiam perceber a importancia dessas tecnologias dentro do seu contexto empresarial, julgando-a, quando muito, apenas como um mal necessario, ate por que, os custos a implementação de TI nessas organizações era exorbitantemente oneroso, do ponto de vista financeiro principalmente, o que as tornava quase proibitivas.
Todavia, com a miniatuarização dos componentes eletronicos transistorizados, que constituem a alma dos computadores utilizados na maioria das soluções de TI, foi possivel uma abrupta redução de preços desse tipo de solução, o que as tornou mais viaveis, de tal forma que, hoje em dia, elas se tornaram bem de consumo comum, e não mais uma extravagancia, mui embora varias empresas ainda tenham essa mentalidade.
Esse processo de "Commoditização" das tecnologias digitais e das soluções TI tem provocado profundas modificações em todos os mercados, contudo , em oposição as correntes filosoficas dominantes no mundo empresarial, nem sempre a TI é sinomimo de aumento de produtividade, sendo, em alguns casos, apenas mais um fator de acumulo de onerosidade, o que,como sabemos, contrasta com a filosofia TI, que prevê a simplificação das atividades por meio da tecnologia.
Uma justificativa bastante plausivel para essa realidade é o planejamento erroneo das ações de TI, que muitas vezas são levadas a cabo sem os cuidados necessarios, utilizando tecnologias desnecesarias , o que será definido aqui como "exorbitação tecnologica funcional", ou utilizando recursos aquem do necessario, que leva aos problemas supracitados. Falta a medida certa, na dosagem da TI nas organizações, que , em minha opnião, deve ser o foco nos esforços de implementação de TI estrategica nos proximos anos, aliando metodos de administarção eficaz com TI customizada por esses metódos, pois, apenas assim, tornar-se-á possivel sair da situação de ostracismo que o setor de TI organizacional se encontra, para uma desejada realizade de eficiencia customizada e pouco onerosa.

Resposta Thalita.

Desde os tempos antigos, tudo o que se tinha de abundante no mercado não era tão valorizado como o que se tinha de escasso. A TI era pouco usada, com isso muito valorizada. Com o passar do tempo e com as melhorias das condições de vida e aumento da informação e comunicação a TI ficou mas acessível a população, com isso o seu "valor" decresceu.

Nicholas afirma que nem sempre a empresa que investe mas em TI é aquela que obtem mas lucro. O texto trata a TI sobre três aspectos: Armazenamento, processamento e trasporte de dados fazendo um histórico da TI desde sua criação até os dias de hoje.

Respostas: Carlos Fernando

O texto nos apresenta a evolução e o crescimento influente da TI no cenário globalizado e comercial, onde o lucro é o bem visado. Também nos apresenta como a TI significativamente engloba e é de imensa utilização na civilização atual como meio de comunicação interligada.

Com relação o autor, mostra-se muito conhecedor na área, apresenta a importância da TI no mundo hoje, assim como seus efeitos nos afeta. Também faz uma crítica de como a TI é vista, ou seja, demonstra total contrariedade a quem trata e considera TI como ferramenta de negócio e não de vida.

Resposta de Paulinho [Antonio Paulo de Almeida]:

Nesse artigo, o autor (Carr) fala sobre o fato de a TI estar deixando de ser um diferencial de algumas empresas do mercado para virar algo comum a todas elas, uma necessidade básica, assim como água, luz ou telefone. Esta tendência pode ser observada, não apenas no mercado corporativo, mas até em pequenos empreendimentos presentes no nosso dia a dia. Toda empresa precisa de soluções da área de tecnologia da informação, caso contrario, o empreendimento tende a não ser competitivo com a concorrência, uma vez que esta encontra-se incluída no contexto.

Eu acredito que embora a TI não seja mais aquele diferencial competitivo que fazia aquelas empresas mais "descoladas" destacarem-se das outras, hoje, o que realmente importa não é se a empresa usa a TI, o que interessa é COMO a empresa utiliza o TI. Pode-se sim, mesmo com todas as empresas de todas as áreas e de todos os tamanhos utilizando tecnologia da informação, destacar-se pela INOVAÇÃO, pela forma de aplicar essa tecnologia. A empresa que consegue lidar de uma forma adequada e inovadora com a informação, tem um diferencial sobre suas concorrentes. estar envolvido não é mais o bastante, para obter sucesso é preciso saber tratar e criar novos caminhos e novos usos para a informação. A área de TI ainda tem muito potencial pra ser explorado, um potencial quase infinito, basta saber como usá-la.